domingo, 1 de julho de 2012

JESUS, SEU DANADO DO CONTRA!


JESUS, SEU DANADO DO CONTRA!

Calma, meus nobres! Não estou a falar de Jesus, o filho do Homem, o nome central do cristianismo, o nascido em Belém, província romana da Judeia, e sim de outro amigo Jesus, o nascido aqui mesmo, filho de outro homem, o Sr. Silva, em Extremoz, província brasileira do Rio Grande do Norte. E, evidentemente, o danado do título acima não tem nada a ver com o rabudo, mas sim com aquele sujeito impetuoso, traquino, inteligente.
Jesus não era danado no nosso tempo de vendedor de grude. Ou melhor, danado era, mas
só de feio. Agora o cara está ficando meio pirado e, imagino, porque há tempos não o vejo, continue danado de feio. Tirem a conclusão pelo imeio que o peste me passou. Conclusão da danadice, é lógico:
“Tião, meu velho, tudo bem com você? Bicho, seu amigo não tá legal. Estou ficando pirado. Tô agindo invertido, meu nobre. Desculpe-me por ter usado o seu nobre, viu, meu nobre? Ah, o invertido não é nada do que pensou não, viu, seu safado duma figa? Veja se isto é normal, Tião:
“Jogo Grêmio e Palmeiras, há coisa de 20 dias. Sou palmeirense roxo, quer dizer, verde, você sabe. Mas quando me punha a torcer a favor, o verdão perdia. O que fiz no jogo contra o Grêmio? Torci adoidado contra o Palmeiras, entendeu? Resultado: Palmeiras dois a zero. Ainda no futebol, venho torcendo direto conta o Fluminense e a favor de seu Flamengo, acredita, meu caro? Na Eurocopa, então, acerto todas, meu. Hoje, tome nota, Tião, sou italiano desde miudinho.
“Na CPI do Cachoeira, vou soltar foguetão caracaxá se o cara se livrar das injustas acusações. Quando começaram a falar dos encontros entre o Lula e o Maluf... Bom, passemos essa, Tião. Em relação ao Lula, minha torcida mesmo foi para o cara não ficar bom daquela doença. Aliás, de barba, eu acho o Lula muito mais Lula, compreendeu, Tião? Doravante, torcerei pela barba dele. De barba, no mais das vezes, ele... Sem barba, no menos das vezes, é que ele...
“Tenho exemplos em banda de lata de minha loucura, mas vou ficar por aqui. Engraçado, Tião, foi como a inversão comportamental teve início. Começou nas ribeiras de meu trabalho, na Ribeira, bairro de Natal.
“O problema lá é o estacionamento, meu caro. É um pega pra capar descobrir uma vaga. Veja só, Tião, o abestalhamento deste abestalhado. Certo tarde, ao ir me aproximando do trabalho, alguém assim me cochichou, azucrinando-me: ‘Diz que não vai achar vaga, Jesus. Diz que não vai achar vaga, Jesus. Então, já ficando lelé da cuca, suspeito, repeti: ‘Deus me livre de encontrar vaga. Deus me livre de achar vaga’. Achei uma defronte da repartição, acredita, Tião? Depois daquele dia, fico repetindo o bordão, e os buracos ficam a meu carro se repetindo.
“Em seguida, houve outro lance inusitado. Dessa vez, a culpa foi do computador daqui de casa. Pro bicho se conectar a internet, Tião, preciso dar um clique em ‘reparar rede’. Ocorre que, em algumas vezes, eu fazia isso, o pestinha dava a entender que ia se conectar, mas caía num branco e puf, desligava. Aí, eu reiniciava a operação e ficava na expectativa de o bicho me trazer o mundo. ‘Conecte, conecte’, dizia-me, e a pestinha da internet não vinha. Na noite da tardinha do achado da vaga, liguei o notebook, mandei-o reparar a rede e... Surpreendi-me, Tião, pensando: ‘Não conecte, não conecte’. Não é que a danada se conectou de primeira, Tião? De lá pra cá, o não conectar é conectar na certa, entendeu?
“Então, o que devo fazer, meu caro Tião? Você entende que tenho de torcer para mais e mais pessoas morrerem por falta de atendimento hospitalar? Que acha você de eu ficar torcendo pelos pedófilos? Merecem serem presos? E os assaltantes? Devo ficar rezando a fim de que continuem a nos assaltar? Será que não vão me pegar pra cristo se assim eu proceder? Tô ficando maluco ou não tô, Tião?
“Concorda comigo ou não, seu danado?
“Aguardo respostas,
“Do amigo”,
Jesus

O que devo responder, gente? Ajudem-me!

Até outro dia,
Tião