segunda-feira, 21 de janeiro de 2013

INDECISÃO


Colaboração do leitor José Alves, em comentário à postagem Rabuda Bem-estar.
Não pôs título. Por minha conta e risco, vou titulá-la de indecisão.

INDECISÃO

Me perdoem se falo desse jeito 
Mas a coisa tá muito complicada
Eu até não queria dizer nada
Mas eu acho que tenho o direito
Me esforço prá não ter preconceito
Muitas vezes me acho abusado
Sei que o mundo é diferenciado
Mas as vezes me sinto agredido
Acho até que o povo está perdido
Numa grande incerteza mergulhado

Quando Deus fez o mundo Ele deixou
A existência do homem e da mulher
Deu preparo a eles e deu fé
Com direito para reproduzir
Falou claro sem nunca iludir
Que o homem é a sua semelhança
Mas o tempo trouxe muita mudança
E Ele deve está entristecido
Mas apesar do que o mundo tem vivido
Para Ele ainda resta esperança

Imaginem num local de trabalho
Aonde cada um tem sua tarefa
Não se sabe se é Zé ou se é Zefa
Se a pessoa é Bastinha ou Bastião
Sé o ente é Joana ou se é João
Se fulano na verdade ainda presta
Se sicrano é o único que resta
Aderir a essa confusão
A patroa pode virar patrão
E ainda tem chefe que atesta

Tudo isso trás um complicador
É preciso que se tenha cautela
Não se sabe se é ele ou se é ela
Necessário se faz ter precaução
Veja só na hora da refeição
A confusão que isso pode causar
Ninguém sabe direito a quem vai dar
E um erro pode causar uma febre
Podemos trocar gato por lebre
E daí a fama se espalhar

Uma certeza temos quanto ao tempo
Para nós ele é sempre passageiro
Assim sendo se decida ligeiro
Assumindo a sua posição
Tome logo a sua decisão
Comprovando ao mundo a que veio
E aí viver com o peito cheio
De alegria amor e disposição
Separando claramente o  sim do não
E sem ficar na coluna do meio

Seja qual for a sua profissão
Trate logo de seguir sua linha
Caso queira se inspirar na minha
Lhe garanto que faço o que é certo
Fico sempre com o olho bem aberto
A minha ação dispensa comentário
Não tem moleza no meu vocabulário
E não se trata de uma questão de fé
O meu negócio está sempre de pé
Quem preferir que fique no armário.

Confesso que sou um otimista
Boto muita fé no ser humano
Todos somos passíveis de engano
Mas a verdade sempre prevalece
E nessa coisa que sobe e que desce
Não comparo minhas palavras às suas
Podemos seguir por outras ruas
Eu garanto que eu sei o que é bom
Para isso Deus me deu um dom
Pois melhor que uma mulher só duas.