quarta-feira, 26 de março de 2014

A GRAMÁTICA POÉTICA DO COMBINADO FINGIMENTO



A GRAMÁTICA POÉTICA DO COMBINADO FINGIMENTO

A gente finge que... Eles fingem que... Tenho ouvido bastante essa combinação. A última, duma médica, numa declaração dum jornal. Num momento de desabafo, mas bafejando a cheirosa sinceridade. Engraçado, digitei sem pensar a combinação daqui de cima, a do ouvido. O duma da médica, o numa, o dum e o num do jornal também vieram no automático. Certamente, frutos da antiga gramática. Duma, dum, numa e num falados até que são. Já escritos... Parece que o pessoal sente vergonha de escrevê-los. Acreditam que sejam combinações mensaladas. Mas não foram revogadas, mesmo porque estão longe de ser infringentes. Ou foram e são, François? Será que...

sábado, 22 de março de 2014

MARX, KEYNES, TIÃO E O JOGO DO BICHO




MARX, KEYNES, TIÃO E O JOGO DO BICHO

Trabalhei muito tempo no jogo do bicho. Naqueles idos, uma atividade lúdica. Tornei-me experto e esperto no assunto. Formei-me em venda de bicho e me formei vendendo bicho. Saí do leão do jogo da lenda para o leão do imposto de renda.
Comecei a decifrar o ser humano no jogo do bicho. Vivia logado a esse grande portal do comportamento. Comprazia-me com a fidelidade, espantava-me com a insensatez, surpreendia-me com a estratégia. Confabulava com todas. Com elas e seus opostos, naturalmente. Anos depois, sorri ao ler este aforismo do Einstein: “O homem é inconsistente”.
Em termos de fidelidade, o jogador do bicho é tão fiel ao cambista quanto ao barbeiro. Já insensatez e bom senso convivem numa boa com o jogador, embora

sábado, 8 de março de 2014

A HOMENAGEM DE SIMIÃO NO DIA INTERNACIONAL DA MULHER



A HOMENAGEM DE SIMIÃO NO DIA INTERNACIONAL DA MULHER

Hoje acordei com a sensação de que viveria momentos incomuns. Porque previsíveis, abandonei os amáveis e protocolares parabéns pelo Dia Internacional da Mulher. Certo é que a percepção foi confirmada logo pela manhã no auditório da fábrica onde trabalho. Mas teve tudo a ver com a data.
            Meu nome é Clara. Trabalho de costureira nas Confecções 1857, unidade/Cristal. A 1857 é a maior indústria de confecções do país. E o dono, Dr. Simião, o melhor patrão do mundo. Opinião compartilhada pelos quarenta mil funcionários da empresa. Ganhamos 20% a mais que os demais empregados do setor, temos benefícios sociais ausentes em outras fábricas e não somos simples registros trabalhistas. De mais a mais, inexiste empregador mais atencioso que o Dr. Simião. Dr. Simião é daquelas pessoas incapazes de fingir. Parece que quando Dr. Simião nos cumprimenta, o coração fica dizendo que nos ama. Os homens não comentam essa impressão, mas as mulheres fazem dessa visão uma festa.
            Bom, acariciando rosas vermelhas, personalizadas e distribuídas no acesso ao auditório,

quarta-feira, 5 de março de 2014

VOCÊ NÃO É VOCÊ



VOCÊ NÃO É VOCÊ

            Você não é você, nobre Miraia. Você não é autêntica. É simples pau-mandado.
- Que? Que disparate mais... Não gosto dessas brincadeiras. Não lhe dou o direito, Simônidas, de...
Miraia ficou tão raivosa que tomei a palavra e tentei segurar-lhe a mão. Frustrada a tentativa, sorri e expliquei:
Escute. Estamos aqui numa boa, eu vendendo meu joguinho de bicho, você despachando os clientes. E entre um aposta na vaca e um cafezinho servido fazemos o jogo da sedução. Jogo pedras de desejo, você empurra pedras de indiferença. Mas sua indiferença é só de faz de conta, pois o malicioso sorriso e o provocante corpinho já me falaram tudo: você me quer.
- Quê? Tá maluco? Vou lá sair com um homem que me chama de falsa. Nem morta!
Então veja a prova de que é embusteira, Miraia. Você estava