sábado, 12 de maio de 2018

EMMA E FUMONI






Resultado de imagem para imagem de binóculo
Imagem Google


Lembrete ao leitor habitual do blogue.

                Sou eterno mininão. Gosto de me divertir. Daí é que costumo fazer um bolão nas Copas do Mundo. Para a Copa da Rússia dei o nome de Zabivaka, o mascote dela, e o enviei para os amigos. O pano de fundo da postagem a seguir é exatamente o futebol. Sabedor disso, você não terá dificuldades em interagir com a prosa. Caso tenha ficado curioso e quiser participar da brincadeira, mande um e-mail para tcarneirosilva@gmail.com que terei o maior prazer em enviar a tabela de jogos e o regulamento do bolão, ok?
            Conheçam agora a Emma e a Fumoni.

            EMMA E FUMONI

Ouvi o barulho do carro estacionando e me virei. Era quase meio-dia.
"Es ist er, Emma. Wahrheit. Ich bin aufgeregt, Anchieta”, consegui ouvir o alemão do casal quando descia do automóvel. Caminhavam na minha direção, numa felicidade só. Fiquei assustado com o “É ele mesmo, Emma”. “Verdade. Estou me sentindo excitada, Anchieta”.
Por que falaram em alemão, por que a moça se excitara e por que tamanha felicidade?
- Como vai, amigo. Prazer enorme encontrá-lo aqui, macho.   
- Nossa, você é do jeitinho que eu imaginava.
Falavam agora em português. Ele, no inconfundível sotaque cearense; ela, tentando disfarçar a origem berlinense. Nunca os tinha visto mais gordos, como diziam no meu interior. Estavam me confundindo com alguém, é claro. Isso não me impediu de ser sociável e ficar de pé. Terminamos nos abraços e beijinhos. Mas o beijo da moça não me chegou social. Chegou insaciável, isso sim. O meu no rosto dela foi normal. No dele não rolou, confesso. Quis comentar com a loura acerca de meu jeitinho, mas o beijão dela dispensava comentários.
Bom, estávamos no MPBar, meu barzinho preferido. E onde sempre o inusitado me localiza. Gesticulei pro Nilsinho pedindo uma cerveja e fiquei a matutar:
É golpe. No mínimo
querem me vender alguma coisa. Vou dar corda. Até porque a lourinha merece. A lourinha, gente, empilhava encanto e estocava charme. Desperdiçava beleza, essa é a verdade. Devia ser multada em 100 beijos diários. Tenho excesso de juventude. Sou bom nessas avaliações. E carrego a tiracolo surrado caderninho de multa.
- Sentem-se, por favor. Fiquem à vontade. Vão tomar o quê? Estão me confundindo com outra pessoa, não?
- Não. Confundindo, não. Vou me apresentar, TC. Meu nome é...
- Anchieta. E você é a Emma. Brasileiro do Ceará e alemã de Berlim.
- Isso mesmo. Suas ondas mentais são bem sulcadas, TC. Mal nos conhecemos e você já se sintoniza perfeitamente conosco. Veja, nosso primeiro contato com você se deu no Japão por intermédio de sua briga com o X, postado no Pocilga de Ouro. Mas só tivemos certeza de que éramos três com o Zabivaka, o Bolão da Copa da Rússia. Não tivemos dúvida, viemos no rasto de seu aroma mental e aqui estamos. Queremos lhe dar ciência de algo fabuloso.
Meu Deus! Vendedores e pirados, pensei, dando um pois não:
- Pois não, Anchieta.
- Tem a ver com o Zabivaka, seu bolão da Copa, TC. Mostre-lhe a FUMONI, Emma. A FUMONI foi criada por mim e pela Emma, TC. Demos um nome científico a ela, mas, por enquanto, pode chamá-la de Futebol Monitorado (FUMONI). A utilidade dela é antecipar o resultado de um jogo de futebol. Só eu e a Emma temos conhecimento disso. Andamos mundo afora ganhando nas loterias esportivas, sem falar na febre dos jogos on-line. Como falei, agora somos três. Porque, no mundo, apenas eu, você e a Emma têm potência mental para usar a FUMONI, TC.
“Ah, meu pai. Que doideira é uma. A coisa é mais grave do que eu pensava”, pensei, observando um binóculo e um par de fone nas mãos da Emma. Limitei-me, porém, a um interessante:
- Interessante, Anchieta.
- Interessante é pouco. É uma máquina de fazer dinheiro. Parece um binóculo, não é, TC?
- Hanrã.
- Funciona assim. Explique ao TC, Emma.
Então a Emma me explicou tim-tim por tim-tim. De forma resumida é o seguinte:
A FUMONI é um binóculo - cheio de teclas - acoplado a um par de fones. Você escolhe uma partida de futebol e tecla o resultado pretendido. De mais a mais, precisa teclar o nome dos goleiros e reservas, já que são eles que vão defender o chute indefensável e abdicar do defensável. Pode selecionar várias partidas. As lentes do binóculo servem de TV. Pronto. Ajusta os fones nas ouças e pronto de novo. Bom é que basta um binóculo, grudar nele as teclas mentais e conectar os fones que a FUMONI começa a enriquecer o indivíduo. Simples assim, porque o que faz a geringonça funcionar é o poder mental de cada um, entenderam?
Tudo explicadinho, a Emma pediu que eu escolhesse um jogo como teste. Ela me ajudaria a teclar os comandos. Isso foi na quinta-feira, dia 10 deste mês, maio. Escolhi CRB X CEARÁ e pensei num placar sacana: 3 a 3. Escolhi e não resisti a certa pergunta:
- Espere, Emma. Sabe, linda, acho que certo 7 a 1 foi arte sua.
“Foi. Estava com raiva desse aí”, respondeu, indicando o Anchieta e desmanchando-se em sorrisos. Percebi que o Anchieta fechou a cara. Não gostou do “linda” da Emma. Cabra besta.
- Agora você botou-me uma dúvida, Emma. Naturalmente que esse aí programou vitória do Brasil. Por que a sua programação ganhou da dele?
- Por causa da potência mental, TC. A do Anchieta é nível 6. A minha é 7. A sua é... Bom, a sua é a maior. Você ganha do Budas e do Gandhi. Eles tinham nível 8. Seu nível é 9,5. Perde apenas para o JC, que tinha nível 10, o último.
-Ah, bom.
Emma falou, pegou a FUMONI e, certamente atraída pela minha volumosa potência mental, pulou no meu colo a fim de manusearmos a danadinha. Quase que esquecia dos 3x3, juro. Ficamos de rosto colados, ela dirigindo meu dedão.
Havia umas teclas meio apagadas, o que ensejou o comentário:
- Tem uns botões com o comando praticamente ilegível, Emma. Esse, por exemplo, é Q com quê?
Q com T, QT. Mas essa tecla não é usada na função futebol. É usada na função amorosa, TC.
- E tem isso também? Como é que é?
- É simples, TC. Digamos que eu e o Anchieta estamos distantes um do outro. Aí, eu ou ele, sentindo-se carente, aperta o QT. Então, se o outro estiver a fim, aperta esse botão aqui, ó, o ET.
- Mas...
- O orgasmo? Nossa! Essa será a transa do futuro, TC.
- Autêntica cama cósmica, linda. Vocês são fodas mesmo.
Nisso, pessoal, inadvertidamente, aperto o QT. A lourinha cai na risada, beija-me e dana o dedo no ET. Quase quebra a FUMONI.
Acho que foi em virtude dos olhinhos revirados da Emma, certo é que um emburrado Anchieta soltou a erótica indireta:
- E do presente.
 Foi assim, gente.
Sim, CRB e Ceará terminou 3 a 3. Na mosca. Assim como a mosca sofreu em mais três jogos. Ah, programei para domingo, 13 do 5, 3 a 1 para o Verdão sobre o Corinthians.
Bom, não vão dizer que pegaram um besta, mas montei uma centena de FUMONI. Se vocês aí do Zabivaka Bolão estiverem interessados, podem me enviar o pedido. Preço de banana: 500 paus a unidade. Já que sou nível 9,5, prometo não usar a FUMONI.
Beleza!

Maio/18, tirando fino na Copa,
TC